quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Preenchido de Deus...

Bom, o que mais me marcou naqueles dias foi o silêncio... não um só, mas muitos... intercalados de conversas esparsas, aqui... e ali...Era um silêncio diferente, daqueles que não nos deixam aflitos para os preencher com palavras, nem com pensamentos...Ele me puxava com uma força de atração tão intensa que me paralisava por completo, impedindo qualquer reação que não fosse a perplexidade diante do vazio...E como um ímã que mantém um vínculo entre o ser e o não ser... aquele silêncio me prendia a um fluxo invisível... mas, tão palpável, que eu não conseguia me desprender... pairando no meio... entre o tempo e o não-tempo, entendi que estava descobrindo um outro mundo dentro do mesmo mundo em que vivi até então.Acho que naqueles dias acessei uma porta de entrada para outra realidade aberta pelo silêncio... mas, como já disse... não era o mesmo silêncio que já experimentei de outras vezes... era outro extremamente magnético...Que calava as palavras e a vontade de pensar e me convidava a seguir com ele... com a mesma entrega de quando vamos entrando naquela sonolência boa que antecede o adormecer... me rendia aquele silêncio... sem precisar fazer nenhum esforço...Com os olhos e o coração abertos via a realidade se transformar... Assim como se alguém colocasse um filtro branco e transparente sobre a realidade para tornar tudo mais suave... a realidade percebida por meu olhar, antes limitada e de cores nítidas, passou a ser permeada por brumas luminosas que tudo ampliou...Bem quieta de corpo e de Alma... fiquei ali só usufruindo daquela nova possibilidade que se abria do silêncio dentro e ao meu redor... tudo se calou e eu pude sentir que estava um pouco mais perto de Deus.E algo realmente mudou... parece que aquele caminho que descobri por acaso pela porta do silêncio, agora era algo que fazia parte de mim... sempre deve ter feito... só que agora eu sentia isso e sabia que poderia voltar de novo aquele estado ampliado... não sei por quanto tempo...Alguns dias depois, vi-me em uma situação de ter que fazer uma escolha... que antes não seria fácil se eu pensasse sobre ela... pesaria daqui e dali e poderia demorar tempos para finalmente me decidir...Mas, parece que minha intuição ficou mais viva e que meu corpo mostrava isso com mais força... e fiz a escolha pelo coração natural... e rapidamente...Tomei a decisão que meu coração indicou e logo depois minha mente tentou encontrar as razões para tal escolha... mas, não me emaranhei por aí dessa vez, como já fiz de outras... tentando explicar e encaixar em justificativas racionais e conhecidas, a decisão que fora ditada pelo meu coração... entendi claramente que nenhuma explicação racional poderia alcançar os motivos das escolhas assim feitas...Essas escolhas não levam em conta só as informações que cabem nos limites da nossa realidade... o coração vai muito além... e não é limitado pelo tempo nem pelo espaço...Não sei ao certo o que mudou em mim naqueles dias... aquele silêncio... mas, sei que, quando voltei, trouxe comigo a sua força... e fiquei sentindo como às vezes... perdemos tanto tempo tentando preencher de palavras o que já está preenchido de Deus...
Rubia A. Dantés é Designer, cria mandalas e ilustrações em conexão...Trabalhos individuais e em grupo, com o Sagrado Feminino, o Dom e o Perdão...Clique aqui e visite seu site, medite on-line e conheça suas mandalas.Email: rubia.americano@terra.com.br

Bjs no ♥ (*_*)
pegue a sua no TemplatesdaLua.com

Um comentário:

sayokichan disse...

Amei tudo aqui, é tudo tão alto astral, parabens minha linda ....