quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Quando você sentir medo...

Eu tinha quarenta e poucos anos. Ela era minha amiga e eu estava fazendo o que achava necessário para preservar nossa amizade. Mas eu me sentia como se tivesse cinco anos, com medo de que, se não fizesse o que ela desejava, ela deixaria de gostar de mim. Ela não fazia por mal, pois tambem estava dominada por seus medos infantis. É na infância que aprendemos sobre o medo. Como lidar com ele, como camuflá-lo, como funcionar debaixo da pressão que ele exerce, como fugir dele. Como diria minha amiga Rene Kiser, “dentro da minha cabeça eu estava sozinha, sem a companhia de um adulto”, tentando salvar aquilo que eu achava ser essencial para minha sobrevivência. Ao tentar manter a amizade, criei o mais completo caos nas minhas finanças e nos meus relacionamentos familiares e amorosos. Ao final, a amizade mudou drasticamente e essa pessoa saiu da minha vida.São poucos os que realmente tentam compreender o numero de mascaras e disfarces usados pelo medo. Aprendi, da maneira mais difícil, que o que eu chamava de “ser uma boa amiga” era puro medo. Medo de perder o controle. Também aprendi que o que eu chamava de prudência, ao protelar as decisões, era medo – medo do fracasso e do sucesso misturados numa só coisa. Depois de várias experiências, descobri que quando eu exclamava indignada, “Olha só o que fizeram comigo!”, na verdade estava sentindo medo. Medo de não ser capaz. Medo que descobrissem a verdade a meu respeito. O medo tem tantos disfarces inteligentes, que é quase impossível reconhece-lo a todo instante. O que podemos fazer, no entanto, é abraça-lo. Torná-lo um aliado, em vez de um inimigo.Quando nos pedem que façamos algo que não nos achamos dignos ou capazes de fazer, não é o medo a primeira emoção que sentimos? Medo do abandono. Medo do ridículo, da desvalorização, da humilhação. Medo de que alguém deixe de nos amar. Como não queremos nos sentir assim, negamos o que sentimos. “Não estou com medo, só não quero me casar com você” “Não estou com medo, estou sem um tostão furado!” “Não estou com medo, estou excessivamente ocupado”. Não nos damos conta de que a única forma de lidar com o medo é amando-o.Da próxima vez que seu estomago der cambalhotas de tanto medo, não negue, fingindo que esta tudo bem. Sussurre bem baixinho: “Conheço você, medo, e sei exatamente o que quer. Mas hoje não estou com vontade de lidar com você”. No instante em que se der conta de que esta sob o poder do medo, não tente escapar. Relaxe. A verdade nos liberta.Iyanla Vanzant

Bjs no ♥ (*_*)
pegue a sua no TemplatesdaLua.com

Um comentário:

meus pensamentos disse...

È o medo é uma coisa complicada mesmo,
Todos nos temos medoo de alguma coisa pode ser a coisa mais boba ou a coisa mais medonha do mundo,
temos medo da verdade temos medo da mentira temos medo de tudo , por mais que sempre queremos ser duros e fortes sempre vai ter alguma coisa dentro da gente que vai sentir medo , porque isso é uma coisa do ser humano.
Bjs *_* pra vc!!