terça-feira, 15 de junho de 2010

Amor Eterno


As vezes as palavras me fogem quando lembro-me daquele amor.
Um AMOR ETERNO cujo o tempo será incapaz de apagar as lembranças vividas por nós dois.
Soneto 17
Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno.
Ás vezes brilha o Sol em demasia
Outras vezes desmaia com frieza;
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.
Mas em ti o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás;
Nem chegarás da morte ao triste inverno:
Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver.
P.S.: Você é muito especial pra mim!
Bjs no ♥ (*_*)
pegue a sua no TemplatesdaLua.com

3 comentários:

ValériaC disse...

Lindo poema...
Juliana, vi um comentário seu no Blog Adote o Amor da Janetinha e senti vontade de te conhecer... e que bom foi vir aqui...adorei...já estou seguindo seu blog...

Beijinhos
Valéria

Carlos Varoli disse...

Oi Juliana, fiquei muito contente te te-la como seguidora do blog carlos espirita. Adorei seu blog e visitarei sempre.
Felicidades,
Carlos

Graça Pereira disse...

O Amor só sabe falar de si próprio e...basta-lhe!
Beijo
Graça