domingo, 6 de fevereiro de 2011

AI - RUBI



Hoje ao chegar aqui no blog encontrei vários comentários dos meus amigos e fui retribuir as visitas, ao chegar no Blog do Aluiso Cavalcante Jr (http://semvoceeunaoseria.blogspot.com/)
encontrei esse vídeo.
Ao ouvir tão suave melodia, fui invadida por uma sensação de nostalgia e lágrimas cairam de meus olhos...lembrei-me daquele Eu te amo que ainda carrego dentro do peito...dos risos no final da tarde, da troca de confidências no telefone, do brilho no olhar, dos e-mails trocado no meio da madrugada, do abraço acolhedor e infinto, das palavras de otimismo e força, da cumplicidade entre dois amigos que por obra do destino tiveram que dizer adeus... pra quem sabe um dia reencontrar e continuar a contar essa estória que fala sobre duas pessoas que se conheceram e que por breves instantes souberam o que é o AMOR.
P/ vc Chérri, *S *N sempre.


AI, de autoria de TATA FERNANDES e KLEBER ALBUQUERQUE. O vídeo traz esta música.
Segue a letra da música para quem se der o presente de acompanhar a canção.


Deu meu coração de ficar dolorido
Arrasado num profundo pranto
Deu meu coração de falar esperanto
Na esperança de se compreendido
Deu meu coração equivocado
Deu de desbotar o colorido
Deu de sentir-se apagado
Desiluminado
Desacontecido
Deu meu coração de ficar abatido
De bater sem sentido
Meu coração surrado
Deu de arrancar o curativo
Deu de cutucar o machucado
Deu de inventar palavra
Pra curar de significado
O escuro aço denso do silêncio
No coração trespassado
"Eu te amo - disse.
E o mundo despencou-lhe nas costas.
Não havia de sofrer tanto.
O mundo pesa sobre o amor.
Leveza dá pena no espaço.
E se teu amor por mais pedra não voar:
Liberta tuas costas do peso que não carregas.
E se teu amor por mais pena não mergulhar:
Vai te banhar e olha-te no olhar que não te cegas.
Se teu amor te pesa mais que o mundo que carregas:
Degela-o e deixa-o beber os deltas.
"Deu meu coração de ficar abatido
De bater sem sentido
Meu coração surrado
Deu de arrancar o curativo
Deu de cutucar o machucado
Deu de inventar palavra
Pra curar de significado
O escuro aço denso do silêncio
No coração trespassado
Ai
Ai
Ai
Ai

Bjs no ♥ (*_*)

pegue a sua no TemplatesdaLua.com

5 comentários:

Silenciosamente ouvindo... disse...

Tenho muita alegria de se ter registado no meu blogue e de
passarmos a nos conhecer.
Tenho outro blogue que ainda tem
dias que é
http://sinfoniaesol.wordpress.com
Um beijinho

ValeriaC disse...

Que lindo...que sensibilidade minha querida...
Sempre bom demais recebe-la em meu cantinho amiga, sua presença ilumina sempre...te deixo meu carinho, o desejo de uma semana de muitas alegrias e beijinhos...
Valéria

Um simple estudante disse...

OIII!!!!
Obrigado deu pra endenter muitoo bens sim!!!

Nossa Fikeii muitooo Feliz peloo seloo q voce me deuu Sabe meu trabalho perto do seu nao é nadaa

SAbe Gostoo muitoo como uns donos de blog interarem com outros donos isso q é legal um certo convivioo entre tais um dando opiniao pro outro crescer

Muitoo obrigadoo Juliana

Francisco Domingues disse...

Olá, Jullia.Maria!
Entrei para conhecer seu blog e seu perfil e desejar-lhe um óptimo 2011. Gostei. Adorei música e poema. É tudo tão romântico! Mas às vezes o amor tmbém pesa... E, se a sua fé lhe deixar ainda um lugarzinho para a ciência, dir-lhe-ia algo de interessante para quem gosta de questionar o legado dos nossos antepassados:
Há pouco mais de um mês que celebrámos o Natal e... sabia que o Natal não existe? Curioso, não é?
Pois: o Natal foi inventado pela Igreja para “cristianizar” as festas pagãs em honra dos deuses solares, Mitra e outros, que se celebravam, por todo o império romano, ao redor do solstício de Inverno, como início do renascimento para uma vida nova, a da Primavera. Teve o seu aparecimento no s. IV, na Igreja Ocidental (25 de Dezembro – calendário Gregoriano) e no s. V na Oriental (7 de Janeiro – calendário Juliano). A narrativa do nascimento de Jesus de Mateus, ampliada por Lucas (nada sendo referido nem em Marcos nem em João), uma e outra são puras invenções sem qualquer credibilidade histórica nem qualquer verosimilhança (No inverno, os pastores não dormem ao relento...) Portanto, o Menino Jesus do catecismo não existiu. Muito menos o Deus Menino! E o mundo inteiro festeja algo de inexistente... Dá que pensar, não dá? (Ver mais no meu blog “Em nome da Ciência”, onde escrevo às segundas-feiras, e cujo acesso é: http://ohomemperdeuosseusmitos.blogspot.com)
Agora, associando-me ao luto de nossos irmãos brasileiros e fazendo votos para que semelhantes tragédias não voltem a acontecer aí no país irmão, uma outra ideia: apesar das catástrofes que vão acontecendo pelo mundo, com muita probabilidade provocadas pelas alterações climáticas e ambientais devidas à acção do Homem, o mesmo Homem, através dos seus governos subjugados aos interesses económico-financeiros de alguns (5% da população mundial, isto é, os que detêm 95% da riqueza produzida à face da Terra), não vai pôr-lhe cobro; preferirá assistir a novas catástrofes em que, como de costume, os mais fracos e pobres são os que irão continuar a sofrer. Inutilmente! Há que lutar para mudar estes sistemas e estes modelos não só políticos mas também económico-financeiros. Como? – Ver no meu blog, sempre com novidades às segundas-feiras, “Ideias-Novas” cujo acesso é: http://ummundolideradopormulheres.blogspot.com
Francisco Domingues

♥ Dαiαne ♥ disse...

'
- Olá minha Estrela *-*
Linda música,meiga e sensível nos faz pensar em coisas que aconteceram/acontecem conosco!

Que ótimo que ficou de férias,terei que vir aqui mais vezes,sim?
Ler seus belos textos!
Que suas férias seja maravilhosa assim como você flor.
Tudo de bom!
Besiitos :*